sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Geração fast food

Hoje uma amiga dizia-me que a filha no fim-de-semana tinha preferido ver um filme a ler o livro que lhe tinha dado origem e que achava um determinado livro que estava a ler (de 150 páginas) muito lento, porque a história não se desenrolava com rapidez, "demoravam muito a acontecer as coisas" - para citar a própria- e que se começava a preocupar porque gastava dinheiro e nunca acertava num livro que a entusiasmasse. Aliás, nem era tanto o livro ou os livros, era a atitude de desinteresse, de apatia perante os livros, as amizades e a sua vida no geral. Tendo eu já lido o livro e tendo-o achado espectacular (eu e mais de metade da população portuguesa) lá lhe tentei explicar que o mal não é do livro... é desta geração fast food, (como eu os apelido), que querem consumir tudo de forma rápida e indolor, sem perder tempo a ler nas entrelinhas e onde qualquer coisa que implique 10 minutos para saber um final ou um desfecho, é considerado demasiado tempo. 
Esta geração não lê e não gosta de ler porque também não ouve e também não sabe ouvir. Esta geração nem sequer sabe conversar... "tecla" frases no messenger e troca meia dúzia de comentários simples no chat do facebook quando querem combinar alguma coisa. Esta é uma geração que não discute pontos de vista, que não sabe argumentar, que não entra em conflitos, que não sabe simplesmente o que é debater com paixão um assunto, envolver-se com ele e dar tudo de si numa discussão para fazer valer o seu ponto de vista. Esta geração vive fechada em casa, sentada ao computador e não entra em conflitos porque não sabe falar, acha que ter opiniões diferentes é criar inimizades, temem ser pouco populares se divergirem da maioria e escondem-se atrás de uma capa de aparente indiferença quando, na verdade, têm é medo de sair da zona de conforto, de arriscar e de viver. 
Esta geração confunde bons livros e bons autores, com escritores de segunda e que estão na moda pela sua escrita medíocre e fácil, porque esta geração prefere ver um mau filme que ler um bom livro...o problema é que isto se estende a outros campos que não apenas o da leitura e dos livros. Estende-se às relações que são cada vez mais inconsistentes e mais fugazes. Tudo se processa de modo rápido, e do conhecer ao começar a namorar e ao terminar uma relação vai um instante, até porque na vida desta geração, tudo dura um instante. As palavras "para sempre" soam a desconhecido e a antiguidade, até porque "para sempre" é muito tempo e tempo é um conceito que não dominam.

Sem comentários:

Enviar um comentário