sábado, 27 de outubro de 2012

tempo


devagar, o tempo transforma tudo em tempo.
o ódio transforma-se em tempo,
o amor transforma-se em tempo,
a dor transforma-se em tempo.
os assuntos que julgámos mais profundos,
mais impossíveis,
mais permanentes e imutáveis,
transformam-se devagar em tempo.

(José Luís Peixoto in "A Casa, A Escuridão")



 



2 comentários:

  1. E ficamos escravos do tempo. Até ser tempo de partirmos... Sad, isn't it?

    ResponderEliminar