quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Bom Dia







Um dia, quando a ternura for a única regra da manhã,

acordarei entre os teus braços.

a tua pele será talvez demasiado bela.


e a luz compreenderá a impossível compreensão do amor.

um dia, quando a chuva secar na memória,

quando o inverno for tão distante,

quando o frio responder devagar como a voz arrastada de um velho,

estarei contigo e cantarão pássaros no parapeito da nossa janela.

sim, cantarão pássaros, haverá flores, mas nada disso será culpa minha,

porque eu acordarei nos teus braços e não direi nem uma palavra,

nem o princípio de uma palavra,

para não estragar a perfeição da felicidade.


José Luís Peixoto, in A Criança em Ruínas





Bom dia!!




2 comentários:

  1. bom diiiiiiiiiiiiiiiiiiiiia!
    acordar com uma poesia de luis peixoto já me inspirou para o resto do dia.
    beijinhos querida**

    ResponderEliminar
  2. boa noite!!! beijinhos M.
    Este é para ti!
    " (...) Chegaste. Eu não te esperava. Contigo trouxeste a ternura, o desejo e, mais tarde, o medo. Chegaste e eu não conhecia essa ternura, esse desejo. Em casa, no meu quarto, neste quarto, revi os teus olhos na memória, a ternura, o desejo. E, depois, aquilo que eu sabia, o medo. E passou tempo. Eu e tu sentimos esse tempo a passar mas, quando nos encontrámos de novo, soubemos que não nos tínhamos separado..." José Luís Peixoto

    ResponderEliminar