sábado, 15 de dezembro de 2012


Hoje o meu dia não amanheceu muito feliz nem animador. Dormi mal (malditas enxaquecas e maldita gripe), acordei com uma gigante dor de cabeça e com um mau humor dos diabos. Para ajudar à festa matinal lá fora chovia a potes e a cântaros (e a tudo o mais que queiram imaginar!) e sair de casa com duas crianças, enfrentar o vento e a chuva que caía, com a gripe que tenho não estava, de facto, nos meus planos. Mas pronto, lá me levantei, lá tomámos o pequeno-almoço (eles a tagarelar e eu em modo calem-se-comam-e-não-me-obriguem-a-falar-que-me-dói-a-cabeça), lá nos preparámos e lá fomos nós enfrentar o  mar que hoje resolveu cair dos céus e inundar toda a cidade (que, para cúmulo, ainda está em obras desde o verão).  Como não sei dizer não e hoje era o último dia de aulas passei o que sobrou da minha manhã a fazer queques de iogurte que foram, quentinhos, dentro de uma cestinha para a escola da filha mais-nova, para ela e os amigos da sua sala lancharem. Juntámos uns chocolates e muita alegria ao distribuir  estes simples (mas deliciosos presentes) para que o último dia de aulas fosse mágico e desse início, em grande estilo, às férias mais desejadas e mágicas do ano. 
Entretanto a dor de cabeça acalmou (abençoados comprimidos), o mau feitio também foi desaparecendo (aos poucos e poucos) e a minha energia, embora não estivesse no auge, deu perfeitamente para terminar os afazeres que ainda tinha em mãos.
Para me alegrar (e compensar) convidaram-me para almoçar e lá fui eu, na melhor das companhias, a um restaurante muito simpático e onde somos sempre bem tratados. Mais tarde recebi a tua mensagem (que me deixou feliz, feliz...) e que dizia: "tenho tantas saudades suas, minha professora". Corri o resto da tarde para despachar as minhas coisas e deixar tudo orientado,  passámos pela escola e trouxemos o filhote da aula de ténis e enquanto ele e o pai punham as suas compras de Natal em dia, eu corri para a tua casa, minha aluna querida, e passei umas boas horas na tua companhia e da tua mamã.
Foi tão bom voltar a ver-te sorrir B., ver que já consegues comer pela tua mão e que já tens força para um acto tão simples como passar a mão pelo cabelo. Gostei de ouvir os teus planos, os teus sonhos e as metas a que te propões. Um dia de cada vez, sem ansiedades, step by step (como me prometeste) e com os olhos e o coração postos no futuro e a acreditar, com garra e muita energia, na tua total cura e recuperação.  
Hoje saí da tua casa a flutuar, (já esquecida das dores de cabeça e de bem com a vida!); Hoje, ao ouvir-te falar - animadamente - uma tarde inteira, senti-me tão animada e feliz; E, acima de tudo, senti-me tranquila - pois durante 6 meses mal falaste e quase nunca te animaste nem conseguias acreditar no sucesso dos teus tratamentos - e se haouve dias em que sorrias (tão poucos) outros houve em que apenas choravas e tinhas um olhar triste e desolado, desiludido com a vida... houve dias em que vi o medo no teu olhar (e compreendi-o tão bem) e houve dias em que também eu tive medo, por ti e por mim, pois não suportaria ficar sem ti. 

Hoje a tua força e a tua determinação foram o incentivo que faltava ao meu dia; hoje a tua força deu um novo impulso ao meu mundo e fê-lo girar, novamente, no sentido certo e com a certeza que, apesar dos apesares, há sempre bons motivos para sorrir. 





A alegria de te ver bem compensou (e muito) a tristeza que algumas pessoas (com a sua maldade) me causam... compensou as lágrimas que chorei pois, ao pensar em ti e em tudo o que passaste, vejo que o que realmente importa são as pessoas que nos querem bem, as pessoas que amamos e que, haja o que houver, queremos sempre perto de nós e pelas quais seremos sempre capazes de fazer tudo, tudo, para as ver, de novo, sorrir. 



3 comentários:

  1. Belas palavras... e que lindo momento de reflexão passou. Que bom que está melhor e sem ao menos conhecer a B., estou a torcer e enviar vibraçoes. Espero que todos estejam bem. bjs

    ResponderEliminar
  2. Se possível for, gostaria que fosse em meu cantinho...escrevi um texto sobre o "dançar", gostaria de saber sua opinião. Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Ainda bem que o dia acabou da melhor maneira! Ela vai ficar bem tenho a certeza! Bjinhos***

    ResponderEliminar