segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

FEliCiDAdE

Lembro-me da casa da minha avó materna. da janela sempre aberta no verão, do cheiro dos lanches e da frutas que o meu avô trazia do pomar. lembro-me de correr descalça pela vizinhança, de brincar, na rua, até às onze da noite no verão e de ficar horas sentada à janela (a tua janela) só a pensar nas minhas coisas e a ver o mundo que passava lá fora! 
Lembro-me de preferir a tua casa a todas as outras (inclusive a minha própria), lembro-me de me sentar ao teu colo a ouvir a mesma história de sempre, vezes e vezes repetida, enquanto tu, cheia de paciência me tentavas convencer a lanchar.
Lembro-me do baloiço que tu e o avô me fizeram e das horas que passava nele a brincar; lembro-me de me ensinares a coser a bainha da minha saia e a de me ensinares a rezar; 

Hoje lembrei-me de ti, do cheiro doce da tua casa, da cor das paredes do quarto onde dormia, esse quarto que fora da minha mãe e depois meu... 

farias anos este mês e de repente senti saudades do teu colo.









2 comentários: