terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Amanhã


É preciso saber relevar e dar a volta às coisas da vida para que acordemos a cada dia mais fortes, mais felizes e com energia renovada. É preciso, ao deitar, ter tempo para agradecer. É preciso durante o dia ser grato pelas mais pequeninas coisas, saber sorrir, saber rir - muito e em doses industriais. É preciso saber passar a mão no rosto de alguém e ser feliz por ter, ao nosso lado, os que importam - os que realmente importam para nós. 
Na vida de todos os dias nem sempre tudo corre bem... na vida de todos os dias há momentos de dúvida, de incerteza, de ajuste, de tensão, de fricção, de desespero até. Mas na vida de todos os dias, pelo menos na minha vida de todos os dias, há o momento em que tudo isto se torna irrelevante, há o momento em que se aligeiram as coisas e se compõem os sentimentos. É o momento de regresso a casa. À nossa casa. Ali encontro o sossego de uns braços pequeninos que me apertam, o carinho de quem espera sempre por mim, aquele sorriso que me sossega e aquele amor grande, que partilha a minha vida, o meu espaço, o meu coração e conhece a minha alma até ao pedacinho mais escondido de mim. Ali encontro tudo o que me faz falta. Ali respiro fundo. Ali encosto a alma e descanso o meu dia. Ali ganho forças para acreditar que amanhã, quando acordar, algo será de novo luz e claridade. Que amanhã as soluções estarão à minha frente e que nada é, na verdade, assim tão grave e sem remédio. Amanhã. Não hoje e não agora. Mas amanhã. 



2 comentários: