sexta-feira, 9 de maio de 2014

be free



O desafio de viver mais e melhor exige, entre muitas coisas, uma qualidade apreciável de coragem. É necessário ter coragem e solidez para fazer face ao preço que quase sempre a sociedade nos quer cobrar pela ousadia de a enfrentarmos, pelo atrevimento de nos declararmos livres de decidir por nós próprios, pelo desplante de ignorarmos a inviolabilidade das suas regras ou até, pela insolência de pedirmos explicações pelas atitudes tomadas pelas pessoas que se julgam sempre certas e acima de tudo e todos. 
Declararmo-nos livres significa dar um passo em direcção à nossa completa autonomia, poder escolher entre o sair e o ficar, entre o dizer ou calar, o resolver desistir ou insistir e assumir a responsabilidade pelas nossas decisões. Ser livre é ter a vontade e a coragem de ser e viver contra as normas estabelecidas, contra o que todos esperam, contra tudo o que se diz ser: "normal". 
Ser livre é não estar nem aí para os julgamentos dos outros quando me decido a fazer o que eu acho justo e certo, ser livre é lutar por aquilo em que acredito e defender mesmo aqueles que não conheço quando todos se calam para evitar polémicas; Ser livre é poder vestir a "camisola das minorias" e lutar pelos seus direitos mesmo que isso faça de mim, aos olhos de muitos, "uma pessoa estranha"! 

(Algo a que já me habituei ao fim de quase 41 anos) 




2 comentários:

  1. Isso não é ser estranho! É ser verdadeiro... conosco e com os outros:) Bom fim de semana.

    ResponderEliminar