segunda-feira, 20 de outubro de 2014



Às vezes sentimos necessidade de sair de nós mesmos, de sair da nossa pele e vir espreitar o mundo cá fora ... temos uma tendência para procurar ao nosso redor aquilo que julgamos fazer-nos falta, fugindo de uma realidade que não queremos, desejando tudo o que não precisamos... com o tempo e a calma, que só a idade nos vai trazendo, ganhei o discernimento e a sensatez que me ensinam a separar o "trigo do joio", o essencial do supérfluo, o real do ilusório, a verdade da mentira ... com o tempo, aprende-se que diante de um problema só temos duas atitudes possíveis: ou os resolvemos ou os esquecemos... que sofrer por antecipação além de uma perda de tempo é uma tarefa inútil e que, acima de tudo, somos nós os únicos responsáveis por nossa vida, pelas atitudes que temos, pelo que plantamos e pelo que colhemos... só nós é que podemos mudar o nosso mundo, conduzir o barco, agarrar o leme e escolher (cada dia) a pessoa que queremos ser ... com o tempo e a idade aprendemos (e percebemos) que culpar a vida e os outros não nos traz de volta o que não temos ou aquilo que perdemos, que é apenas dentro de nós (e não fora) que mora a verdadeira felicidade, que é em nós que devemos procurar tudo aquilo que precisamos ... como diria Stº Agostinho: "Não saias para fora de ti, retorna sempre a ti mesmo, porque a verdade habita no homem interior."

Bom dia - com sol e a vontade de vestir verão -

Photo: Às vezes sentimos necessidade de sair de nós mesmos, de sair da nossa pele e vir espreitar o mundo cá fora ... temos uma tendência para procurar ao nosso redor aquilo que julgamos fazer-nos falta, fugindo de uma realidade que não queremos, desejando tudo o que não precisamos... com o tempo e a calma, que só a idade nos vai trazendo, ganhei o discernimento e a sensatez que me ensinam a separar o "trigo do joio", o essencial do supérfluo, o real do ilusório, a verdade da mentira ... com o tempo, aprende-se que diante de um problema só temos duas atitudes possíveis: ou os resolvemos ou os esquecemos... que sofrer por antecipação além de uma perda de tempo é uma tarefa inútil e que, acima de tudo, somos nós os únicos responsáveis por nossa vida, pelas atitudes que temos, pelo que plantamos e pelo que colhemos... só nós é que podemos mudar o nosso mundo, conduzir o barco, agarrar o leme e escolher (cada dia) a pessoa que queremos ser ... com o tempo e a idade aprendemos (e percebemos) que culpar a vida e os outros não nos traz de volta o que não temos ou aquilo que perdemos, que é apenas dentro de nós (e não fora) que mora a verdadeira felicidade, que é em nós que devemos procurar tudo aquilo que precisamos ... como diria Stº Agostinho: "Não saias para fora de ti, retorna sempre a ti mesmo, porque a verdade habita no homem interior."

Bom domingo - com sol e a vontade de vestir verão - <3




1 comentário: