segunda-feira, 29 de dezembro de 2014



Couve romanesca, uma couve fractal  a matemática à mesa ou mais uma tentativa que a minha filha coma legumes  

Esta couve romanesca (Uma couve originária da Itália, mais precisamente de Roma, também chamado de Brocoli romanesco ou repolho romanesco) possui um particularidade matemática super interessante: a couve é o perfeito exemplo de um objeto fractal natural. Um objeto fractal é aquele a que cada parte, da menor até a maior, corresponde a forma total do objeto. Assim uma estrutura fractal tendo um plano finito se pudéssemos desenhá-la ela teria um plano infinito. Sendo um algoritimo recursivo que garante que o todo é estatisticamente semelhante a cada detalhe.

Sendo assim, cada brócolis é composto de flores menores que imitam a forma fractal, tentando atingir a ‘perfeição’, que por sua vez, apresenta flores ainda menores de forma semelhante, e isso continua e continua até que encontremos flores extremamente minúsculas.

A sua consistência é ainda mais tenra que a da couve-flor, devendo portanto ser apenas levemente cozida, e pode também ser utilizada crua, em saladas, em gratinados e na sopa, por exemplo ...

Esta veio do Pingo Doce aqui de Fátima 






3 comentários:

  1. Ainda não tive coragem para experimentar, não sei, talvez pela forma, mas com a sua descrição fiquei tentada :)
    Um excelente 2015

    ResponderEliminar