segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O verde sobrepõe-se sobre o azul que ainda há pouco se exercitava sobre nós. Um pássaro, devidamente oculto, grita por entre as folhas, num ritmo só seu, embalado pelo som do vento ... Há momentos que não precisam de mais nada para se tornarem imortais aos nossos olhos ... Há momentos que ficam presos a nós, agarrados à nossa pele, impressos na nossa alma como uma impressão digital ... Caminhando por aqui, na serenidade desta hora única, avistei um veado. Livre, olhava com curiosa indiferença a minha pequena condição humana e seguia confiante. Eu, pelo contrário, agarrada aos meus pensamentos e prisioneira dos meus receios invejei-lhe a liberdade e a serenidade confiante com que se passeava, sem receios, à minha frente ... Um dia, um dia também vou conseguir seguir livre, confiante e indiferente às pequenas contrariedades da vida. Um dia vou conseguir centrar-me apenas em mim e terminar a caminhada!!




1 comentário: