domingo, 13 de dezembro de 2015


Os últimos dias, têm sido tão bons quanto dolorosos e confusos. Algumas contrariedades que nos põem à prova, dias em que ponho tanta coisa em causa, autênticas provas à minha capacidade de suportar, de ir em frente, de resistir, de continuar forte e serena acreditando que, independentemente do que possa acontecer eu me vou manter firme e segura nas minhas decisões, sem vacilar. 
Não tenho escrito muito nos últimos dias. Nunca me apetece escrever sobre dias feios, daqueles mesmo maus. Já me basta ter de os viver e ter que encontrar formas de os ultrapassar e contornar. Escrever sobre eles e descrevê-los é dar-lhes ainda mais importância... é acrescentar-lhes vida e significado. Prefiro os bons. Os claros. Os luminosos. Desses e apenas sobre esses gosto de escrever. Falar sobre eles é viver o mesmo dia duas vezes. É mostrar gratidão ... Há quem não perceba porque é que em vez de me lamentar eu agradeço tudo, até o que de menos positivo me acontece. É apenas uma questão de perspectiva. Mais que isso... é uma forma de ser e de estar na vida. E embora possa parecer cliché ou frase feita, na verdade não é. Agradeço - mesmo - as desilusões que tive (e tenho) de enfrentar, agradeço - todas - as quedas que dei (e dou), agradeço aos amigos que não foram assim tão meus amigos e às pessoas que se afastaram de mim, que saíram do meu caminho deixando assim espaço para que outras pudessem entrar, conquistar-me, ter um lugar na minha vida e ficar. Foi (e será sempre) graças a estas situações e a essas pessoas (que em boa hora me deixaram e se afastaram) que aprendi a valorizar as que ficam, as que valem a pena e aquelas que queremos para sempre na nossa vida. Foi graças a elas que aprendi a levantar-me sozinha, a ter coragem para remar contra a maré, a caminhar mais forte e a ter por mim um enorme respeito enquanto pessoa. 
Os últimos dias, têm sido tão bons quanto dolorosos e confusos. Mas sobre estes últimos (os maus) não me apetece escrever.



1 comentário:

  1. Compreendo-te muito bem e identifico-me totalmente nas tuas palavras.

    ResponderEliminar