quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Ontem a filha mais nova perguntava-me se não me magoava a ingratidão das pessoas?
Se não sofria com isso? Como é que eu fazia?

Pensei para mim mesma que essa pergunta valia um milhão ...
Quis dizer-lhe que sim! Que antes me doía muito a ingratidão dos outros, demasiado até! Mas com o tempo nós vamos crescendo e aprendemos a assimilar as coisas de outro modo! Não é que durante o processo de crescimento a gente não sofra! Sofre! E muito! 
Só quem trabalha a sério em si mesmo e no seu crescimento pessoal sabe do que falo e sabe o que se "sofre” nestas dores de crescimento. Paradoxalmente são as melhores dores que existem e o que ganhamos em paz de espírito, depois de passar por elas, vale tudo o resto! 
Por isso acho que não, minha filha, acho que a ingratidão dos outros (já) não me magoa!
Sabes pequena Maria, a ingratidão dos outros é um problema deles, não nosso! Cada um é responsável pela infelicidade que carrega consigo! Quem dá pouco amor, pouca gratidão, pouca verdade e pouca atenção aos outros acaba por receber o mesmo da vida: um pouco de nada!! Temos a obrigação e o dever de olhar por quem olha por nós, de cuidar de quem cuida de nós, de agradecer o elogio sincero que nos dão, de nos esforçarmos para fazer alguém feliz a cada dia e de arranjarmos tempo para dar a quem faz "esticar" o seu para nos dar atenção. A gente esquece-se com muita facilidade do que a vida nos dá todos os dias, da amizade e do carinho com que nos tratam e do bem que nos fazem ... e esquecemos ainda com mais rapidez que nesta vida nada é garantido, nós não somos eternos nem nada é para sempre nosso... somos todos visitantes deste tempo e deste lugar, nós não pertencemos aqui, estamos apenas de passagem ...

P.S. Nunca penses na (in)gratidão... foca-te na outra metade, aquela que acrescenta magia aos teus dias, aquela que te dá tudo o que tens e faz de ti o que já és! Sorri, avança e sacode a poeira dos ombros ... a gratidão é o que acrescenta brilho aos nossos dias e a escuridão dos outros não afecta os que são feitos de luz (como nós)



1 comentário: