terça-feira, 10 de abril de 2018

Pelos caminhos de Santiago

É costume pensarmos muito - talvez demasiado- em tudo o que achamos que nos falta acrescentar às nossas vidas. Devíamos fazer talvez o exercício ao contrário. Devíamos talvez pensar nas coisas de que podíamos abdicar, em tudo o que facilmente poderíamos dispensar como uma prática de sincero desapego - e estarmos bem ainda assim. 
É como destralhar a nossa mochila e ir tirando tudo o que está a mais, que pesa e não nos faz falta no Caminho. Como uma metáfora de vida e um deixar ir com a corrente, libertando-nos das amarras que nos prendem a ninharias e coisas sem importância para depois percebermos que é na essência que está em nós e naquilo que já possuímos que mora o essencial de tudo aquilo que precisamos. 















2 comentários:

  1. Respostas
    1. Quando o Caminho te chamar vai ... não hesites. Confia. Simplesmente confia e vai. É extraordinário <3

      Eliminar